Perfume - origem e história - Perfumes dp

Perfume - origem e história

em 17/08/2020


Hoje vou deixar registrado a pesquisa que eu fiz, pra junto com vc leitora, aprender como o perfume nasceu e sua história ao longo do tempo. Vamos ver o significado e origem da palavra perfume e um breve resumo de sua história: 

Perfume - origem e história


Origem
O Perfume tem origem no latim “Per Fumum” que significa “através do fumo” no sentido de vapor que se expande, fumaça, em referência ao aroma que se desprendia do incenso, nos tempos mais remotos da civilização, onde os homens invocavam seus deuses, através da queima de ervas gerando a liberação de diversos aromas.

História
A história do perfume é bem antiga, não se sabe ao certo, na pré-história já se tinha o conhecimento do aroma pela fumaça das ervas, mas foi por volta de 2 mil anos a.c, no Oriente médio, Egito, onde temos os primeiros registros e referências aos perfumes.
Os faraós e membros importantes da corte, utilizavam os chamados unguentos aromáticos que traziam um toque de frescor ao clima quente e árido do Egito.

Depois, no século IX, o perfume foi aperfeiçoado pelos árabes, com o alambique. Na época, foi escrito um livro com centenas de receitas de perfumes chamado Livro da Química de Perfumes e Destilado, autoria do químico árabe Alquindi.
Também o químico persa ibne Sina foi quem iniciou o processo de extração de óleos de flores através da destilação, processo utilizado até hoje. 
Seus primeiros experimentos foram com as rosas e assim surgiu a criação da água de colônia, fabricada pela maceração de pétalas de rosas e óleo.

O perfume se desenvolveu e se popularizou no século XIV, na França (onde se cultivavam flores), mais precisamente em Paris, que se tornou referência mundial em pesquisa científica e produção de fragrâncias e perfumes. 

Os perfumes franceses conquistaram o mundo e são os mais cobiçados até hoje, porém, foi o italiano Giovanni Maria Farina (ou Johann Maria Farina, como é conhecido nos Estados Unidos) considerado o inventor do perfume, pois patenteou uma água de colônia em 1714.

Com o avanço do progresso na química, surgiu a criação de fragrâncias sintéticas (que é uma mistura de matérias-primas) ou seja, a reprodução de cheiros da natureza. 
Chanel No 5 em 1921, foi o primeiro perfume com aldeídos florais, que são substâncias sintéticas que realçam as notas olfativas das flores. 

A perfumaria atualmente utiliza de matéria-prima natural e fragrâncias sintéticas, principalmente algumas como o almíscar, que vêm de secreções de animais e que para extraí-lo, teria que sacrificá-los.
Graças a descoberta do almíscar sintético, evitou-se a extinção do cervo-almiscarado e ainda nos dias de hoje, nós os consumidores, pelo menos eu, procuro ver se a marca tem o selo cruelty free. 
A maioria das nacionais são Cruelty Free inclusive alguns perfumes são considerados veganos, mas, em caso de dúvida, verificar no site de cada marca, se tem o selo ou menção.  

O perfume pode ter vários aromas misturados que são classificados como: cítrico, floral, oriental, fougère, Chipre, couro, aromático, frutal e com subclassificações como: floral oriental, Chipre amadeirado, etc.

Um perfumista precisa ter um olfato apurado, já que em um único perfume pode ter até 300 ingredientes (nossa!!!! e eu achando que era tão simples) e são inúmeras as possibilidades de criação! é como produzir uma música, aliás... por cheiros estarem ligados ao nosso cérebro e memória, acho que poderíamos dizer que um perfume é para o olfato assim como uma música é para os ouvidos, concordam? 

 

Bjus e até mais.


Fontes: Wikipedia, Sephora, Fiorucci, Shopluxo.







Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário